A importância do boro na musculação

c
julho 3rd, 2013

3-copy1O boro é um mineral encontrado na maioria dos tecidos, porém sua maior concentração está nos ossos, no baço e na tireoide. Ele participa na conversão de substâncias ativas que estão envolvidas na formação de vários hormônios como o DHEA, a progesterona, a testosterona, os estrogênios e o cortisol. Além disso, o boro pode exercer inúmeras funções metabólicas, entre elas a interação com nutrientes envolvidos no metabolismo ósseo, a modulação imuno-inflamatória, o controle do estresse oxidativo e a prevenção de doenças osteoarticulares, em especial na menopausa.

Um estudo realizado com a suplementação de 10 mg de boro por 1 semana, mostrou os seguintes resultados: efeito anti-inflamatório,  efeito anticarcinogênico, aumento de 28,3% da testosterona livre, redução do estradiol e aumento da dihidrotestosterona e da vitamina D.

Apesar de não estabelecida a cota dietética recomendada (RDA) ou a ingestão adequada (IA) para o boro,, a ingestão diária média é extremamente variável, sendo estimada de 0,5 a 7 mg/dia. A ingestão máxima tolerável para o boro é de 20 mg/dia para homens e mulheres adultos.

O boro é um elemento com alta taxa de absorção, podendo chegar até cerca de 90%. A maior parte da sua excreção se dá pela urina, assim quando ocorre aumento da ingestão, a excreção urinária é maior, por outro lado, quando a ingestão é baixa, a excreção urinária é menor.

Devido a este equilíbrio entre a ingestão e a excreção, o boro parece ter baixa toxicidade, no entanto alguns sintomas iniciais de intoxicação são náuseas, desconforto gástrico, vômitos e diarreia.

Como consequência do papel do boro no metabolismo hormonal, suplementos dietéticos que contém este mineral são frequentemente indicados para melhorar a produção de testosterona, aumentar força e massa muscular, melhorar a absorção de cálcio e manter a densidade óssea.

Na alimentação, o boro pode ser encontrado em maiores concentrações nas frutas, especialmente nas não cítricas, nos vegetais folhosos, nas castanhas e nos legumes.

 

Angela Martins – Nutricionista do Departamento Técnico

One Comment

Post Comment